sexta-feira, 8 de junho de 2012

Cupidos

- Conversei com a Simone. Ela tem uma amiga que também está procurando alguém. Você quer o e-mail dela?

Não quis responder negativamente. Por educação peguei aquele pequeno pedaço de papel e descartei-o na lixeira quando ninguém estiva olhando. Não era pessoal, afinal eu nem conhecia a dona do e-mail. A questão é que eu não acreditava em relacionamentos deste tipo, parecendo uma encomenda, como se um amigo se vestisse de um camisolão branco e, voando com ajuda de asas alvíssimas, atirasse flexas no coração dos encalhados. Anos depois tentei retribuir a gentileza e também fui um cupido com duas tentativas e um casamento.



Na minha visão preconceituosa, os relacionamentos tinham que acontecer sempre ao acaso, como se só o acaso fosse o certo e o natural. O que eu imaginava é que fosse encontrar a minha esposa num curso, numa festa, sei lá. Nunca seria algo forçado ou encomendado.

Mas é natural os filhos herdarem as doenças dos pais, mas ninguém deixa o acaso cuidar do destino do filho neste caso, pois qualquer pessoa consciente dos riscos que um filho corre com a genética tenta se antecipar e prevenir desde a mais tenra idade. Também não é natural perder noites estudando para se formar. O natural é dormir gostoso, sem maiores aborrecimentos, mas nós forçamos um destino profissional melhor por meio da escola e dos estudos.

Dias depois o Jorge me procurou novamente.

- Ela disse para a Simone que não recebeu e-mail nenhum. Ela fica cobrando da Simone e a Simone fica cobrando de mim.

E o Jorge cobra de mim. O cerco se fechava e a saída que eu usei naquele momento foi inverter os papéis: dei o meu e-mail para ela e há exatos 13 anos apareceu esta mensagem na minha caixa postal e Simone e Jorge são nossos padrinhos de casamento.


5 comentários:

  1. Maria Luiza Mendez8 de junho de 2012 18:07

    E foram felizes para sempre... te amo!

    ResponderExcluir
  2. Ah, que coisa mais linda! Achei o máximo que Luiza seja assim tão pró-ativa, mas sempre imaginei que só uma mulher decidida iria amarrar você, Newton.
    Viu só como o destino é brincalhão e camarada? Parabéns a vocês, pelo lindo casamento, e por Mariah.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Luiza tem duas características não muito perceptíveis que sempre me atraíram: ela é engraçada e possui uma paciência infinita comigo.

      Excluir
  3. Legal! Eu tenho guardado o cartão de natal que a Rosilene me mandou antes de iniciarmos o namoro que foi em 10/01/88.

    ResponderExcluir